SEJA BEM VINDO !!!!

Professores, este espaço tem como finalidade auxiliar os fazeres pedagógicos nas Unidades Escolares por meio da divulgação de materiais necessários para o aprimoramento da prática, bem como das ações de formação promovidas pela DERSVI. 

PCNP SOCIOLOGIA - Thaisa Linares

PCNP GEOGRAFIA - Cléo Oliveira

PCNP HISTÓRIA - Luciana Fachini

 
 

Por que estudar Sociologia no Ensino Médio?

Por Cristiano das Neves Bodart
 

Como meu contato inicial na docência foi no Ensino Básico, essa indagação (Por que estudar Sociologia no Ensino Médio?) foi uma das primeiras que ouvi ao ministrar a disciplina Sociologia. A resposta pode ser dada pelo professor de forma simples e objetiva: para compreender o mundo e atuar sobre ele como agente ativo! Embora tal resposta seja correta, simples e objetiva, dificilmente os alunos se contentarão com ela. Dificilmente isso fará sentido para eles.
 
Frente a esse problema de não compreensão da importância de se estudar sociologia e a resposta retórica não ter muito sentido para os alunos, surge ao professor uma questão: O que dizer (ou fazer) frente a essa latente pergunta? 
 

Busquei, ao longo de alguns anos, uma resposta de melhor aceitação, mas descobri, pelo menos no meu caso (não que seja uma fórmula universal), que a resposta simples e objetiva não daria o resultado esperado e percebi que eu deveria demonstrar com exemplos concretos. Assim, passei a iniciar a aula falando e perguntando de algo que estava em evidência na escola, na cidade ou na mídia. A partir daí apresentava uma explicação sociológica para o fato tratado de forma que os alunos entendessem. Eram assuntos que eles conversavam entre si, pois meu objetivo era demonstrar que o conhecimento sociológico era útil para conversarmos com as pessoas; amigos, pais, irmãos e até com a (o) namorada(o). A proposta era exatamente conversar com eles sobre aqueles assuntos.

 
Para expor melhor minha experiência, menciono dois exemplos do que fiz na época.
Numa dada semana o assunto da aula seria "comportamento social". Um dia antes da aula, duas alunas haviam brigado na escola. Com a permissão de ambas, as utilizei para exemplificar o conceito a ser estudado, bem como outros. As duas alunas residem em um bairro famoso pelo volume de brigas e escândalos que ocorrem na rua. Perguntei aos alunos, por que as duas agiram de forma violenta frente a uma discórdia que poderia ser resolvido de outra forma. A resposta veio rápido: professor, é porque moram no bairro X e lá é "no braço" que se resolve os problemas! Parece que tal resposta é carregada de preconceito, no entanto, busquei demonstrar, a partir da atitude delas, a influência do meio social no processo de socialização. Perguntei: E se residissem em um outro bairro? Demonstrei como o meio social influencia na ação dos indivíduos, mesmo aquelas que parecem instintivas. Aproveitei a oportunidade e expliquei o conceito de habitus, de Pierre Bourdieu.
 
Outro dia iniciei a aula falando do filme que havia passado na Rede Globo no dia anterior. Tratava-se do filme “Cão de briga”. Parti da seguinte pergunta: por que o personagem principal agia daquela forma? Isso poderia ocorrer na vida real? Existe alguma semelhança com as crianças que entram para o tráfego de drogas? A aula naquele dia seria sobre a criminalidade no Brasil. A partir do filme a aula acabou tomando o rumo em direção a reprodução do crime e as políticas públicas.
 
Fiz isso por quase todo o ano e o resultado foi muito bom. Notei que os alunos passaram a ver que a Sociologia podia torna-los mais inteligentes em relação a compreender e explicar o que acontece em seus cotidianos.
 
Em síntese, apenas dizer que a Sociologia serve para compreender a sociedade e lecionar “a História da Sociologia” é colaborar para o desinteresse dos educandos em relação a disciplina. A sugestão é fazer demonstrações disso.
 
 
 

Reunião de Trabalho – Sociologia– DER SVI - 2016”

“Situação de aprendizagem 5 – Volume 1– 2ª série Ensino Médio-“Consumo Versus Consumismo”.

   Data: 07, 08, 09 e 16/06/2016

 

Objetivos:

- Apresentar a estrutura da sequência didática, de uma situação de aprendizagem.

- Desenvolver a sequência Didática: “Situação de aprendizagem 5 – Volume 1 – 2º série EM- Consumo Versus Consumismo”, oferecendo subsídios, diferenciados, para o trabalho docente em sala de aula.

- Refletir sobre formas de avaliar os resultados da aprendizagem, dentro da situação de aprendizagem supracitada, para que educando e educador possam identificar as aproximações e distanciamentos dos objetivos propostos.

 

REUNIÃO SOCIOLOGIA- JUNHO.ppt (6593536)

LIVRO - APRENDENDO A PENSAR COM A SOCIOLOGIA - BAUMAN

LIVRO: GLOBALIZAÇÃO - AS CONSEQUÊNCIAS HUMANAS - BAUMAN

VÍDEO - A VERDADE DE CADA UM

1º Reunião de Trabalho – Educação Escolar Indígena

TEMA: Reflexão acerca dos processos de ensino e aprendizagem na aquisição da língua escrita por meio de estudo de caso sobre os saberes e fazeres dos professores indígenas dos anos iniciais e anos finais.

Aconteceu em 31 de março de 2016 e teve como objetivo :

-Subsidiar o trabalho dos professores acerca dos processos de ensino e aprendizagem na aquisição da língua escrita, considerando as  dificuldades dos alunos.

-Ressaltar as ações que visam análise e reflexão sobre a língua e as condições didáticas que precisam ser garantidas para a efetiva aprendizagem.

Conteúdos

- Concepção de Alfabetização;

- Plnejamento prévio do trabalho pedagógico;

- Processo de aquisição de leitura e escrita;

- Definição e prática da sondagem das hipóteses de escrita;

- Book de atividades permanentes: boas práticas e intervenções didáticas;

- Projeto Didático como instrumenton de apoio à aprendizagem.

PCNP´s responsáveis : Thaisa ( sociologia) e Juliana ( anos iniciais)

Reunião – Educação para as relações étnico-raciais

 

No dia 19/04/2016 realizamos uma Reunião sobre Educação pelas Relações Étnicas Raciais na Aldeia Indígena Paranapuã, tendo como público alvo os Professores dos municípios de São Vicente  e Praia Grande. Lá tivemos palestra pelo professor indígena que falou da cultura do povo Guarani, danças típicas apresentadas pela comunidade, exposição de artesanatos, e também a participação dos monitores ambientais do Parque Estadual Xixova-Japuí. Foram momentos de grande aprendizado e de fortalecimento da cultura indígena. Obrigada a todos da DER SVI que nos auxiliaram para o sucesso deste trabalho!

PCNP's responsáveis: Thaisa (sociologia), Cleunice (geografia), Luciana (história), Juliana (anos iniciais) e Ubiratã (anos iniciais).

Reunião – Educação para as relações étnico-raciais

No dia 15 de Junho realizamos uma Reunião de trabalho - Educação para as relações étnico-raciais, na Aldeia Indígena Tabaçu em Peruíbe, que teve como público alvo Professores dos municípios de Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe! Foram horas de grande aprendizagem, onde tivemos a oportunidade de vivenciar o modo de vida indígena e aprender mais sobre a cultura tupi-guarani a partir do seguinte roteiro: 

Roteiro

Caminhada- aproximadamente 1500 metros da rodovia até a aldeia (incentivo à atividade física, o bem estar do corpo, observar a natureza e harmonizar-se com o meio);

Recepção especial - Palestra receptiva com a Professora Ita mirim;

Trilha interpretativa com monitoria indígena:

- Conhecendo “NHANDEREKOA” (nosso modo de viver); - Palestra com a Professora Ita mirim “QUEM SOMOS”;

- Palavra com morubixabas (líderes maiores);

- Encenação “Lenda Indígena”;

- Canto e danças tradicionais;

- Momento para registro fotográfico e vídeo (cautelosamente com autorização dos líderes);

Conhecendo aldeia contemporânea:

- Palestras com a professora Ita mirim “COMO VIVEMOS”.

Visitando espaços físicos;

RODA VIVA (perguntas e respostas);

Encerramento - dinâmica (a união faz a força) roda auê canto e dança despedida;

Momento livre: Almoço confraternização alimentar, exposição de artesanato, registro fotográfico e vídeo (cautelosamente com autorização dos lideres).

Confraternização alimentar - a alimentação é um momento importante, e compartilhar o que temos traz cada vez mais a prosperidade a nossa mesa.  (provérbio indígena família Tabaçu).

Obs: Neste momento cada indivíduo participante colocou seu alimento à mesa para compartilhar com a família Tabaçu.

Avaliação/Trabalho Pessoal:

Agradecemos imensamente a hospitalidade da Comunidade Tabaçu, que nos brindou com momentos inesquecíveis! Obrigada também pela participação dos Professores, pelo subsídio dos Supervisores, Diretor Técnico, PCNP e Dirigente pelo estímulo e apoia na realização das nossas ações!

PCNP's responsáveis: Thaisa (sociologia), Cleunice (geografia), Luciana (história), Juliana (anos iniciais) e Ubiratã (anos iniciais).